Amor, Amante, Amado

beach-party-with-champagne_925x

 

Free as a bird

Amor é liberdade

Amar é se aprisionar

O eu ao eu

O tu ao tu

O eu ao tu e o tu ao eu

O nós é livre

 

Verbo intransitivo

Quem ama, ama

Não ama a

Nem ama por

Ama somente

Continuar lendo Amor, Amante, Amado

Anúncios

IV

Diz-se que da teoria dos signos pouco se revela. Guardem isto, dizia o velho mestre. Poucos guardavam. Um dia caminhando pela praia tropeçamos numa pedra e a densidade do viver caiu sobre nós inesperada e crua. Pouco se revelaria, porém muito seria instantaneamente assimilado como signos e símbolos. Mais tarde os significaríamos. É tudo o que preciso contar…

III

Conta-se, aliás, no mínimo as contagens populacionais se desdobravam, que no reino desencontrado da Alsácia-Lorena vivia um grande, enorme ignorante a sucumbir de pedra em pedra o seu caminho.

Aliás muito diziam. As bocas sempre falam muito. Outros relatos praticamente excluem as pedras, senão as de encontro com o mar, porque este, na verdade (verdade delas), vivia numa praia.

Em todo caso não se excluem os peixes. Resta saber se eram de rio ou de mar segundo cada versão. Eu me arriscaria a dizer que são de lago para desacreditar todas as cretinas versões.

Aliás, que historinha imberbe! Melhor parar por aqui…

I

Na verdade, não era desta maneira que olhava no espelho interno de seu coração, mas naquele momento era uma moça bela e esplendorosa em seus parcos um metro e quarenta do cabelo até a cintura. Sua cabeça voava entre os enigmas da geometria descritiva dos átomos em uma possível quarta dimensão quântica onde as trocas de energia poderiam potencialmente ser visualizadas. Sentia-se um lixo por não ter compreendido isso antes…

Afirmação ou Ceticismo

man-standing-on-tall-rock_925x
Foto da Brodie Vissers do Burst

Não, não me venha com suas velhas certezas

Eu tenho minhas novas dúvidas

E não as trocarei por seus caquéticos dogmas

Não, não tente me mudar

Se você nem consegue mudar o mundo

Não influencie

Quem ora por isso

Porque só me influenciará

Quando não mais quiseres

Não me ofenda

Seus melhores palavrões são elogios para mim

Não me menospreze

Sentir-me-ei valorizado

Não me violente com a sua inteligência

Eu o queimarei com a minha ignorância

Que pulsa veemente em minhas veias

E sangra de dissabor em sua ciência

Não me atire pedras

Pois delas farei muros

Para me esconder

Não me faça discursos

Não os entendo

Não os domino

E não os aceito

E finalmente não me mostre a realidade

Pois sonho com ela

Timidez

couple-in-love_925x.jpg
Foto da Brodie Vissers do Burst

Ah se me fosse tão fácil descrever um sonho

Por certo vos contaria

Quebraria o silencio que me imponho

E num altar vos adoraria

 

Por certo me renegaria

Mais do que tu me aceitas

Mas eu te revelaria

Todas as minhas receitas

 

Mas se num impulso não trespasso o muro

E porque mais que a barreira física

Pesa-me a vivencia

De ganhá-la em hora arisca

E perdê-la na convivência